terça-feira, 31 de março de 2009

Banda gringa nas quebradas catarina.

A banda Bogardus, da Argentina, estará fazendo duas apresentações região norte catarinense. O sábado será em Joinville e no dia seguinte em São Bento do Sul.



Veja as informações das duas apresentações:



Joinville-SC

TEORIA DO CAOS:


BOGARDUS (Argentina)
. www.myspace.com/bgrds

FRIEND OR FOE (Jlle)
. www.myspace.com/Friendorfoehc

COCÔ AZEDO (Jlle)
. www.myspace.com/cocoazedo

ENFERMITOS (Blumenau)
. www.myspace.com/enfermitos


CLUBE AVAÍ

Sábado - 04 de Abril ás 21:00 horas | Entrada: 7 Reais
Rua Carlos Stamm - lateral da XV de Novembro
(200 mts após VIADUTO EXPOVILLE)

São Bento do Sul-SC

Cartola's Snooker Bar Apresenta:

*BOGARDUS - Argentina
www.myspace.com/bgrds

*REJECTS - SBS
www.myspace.com/rejectsbr

*THE CRUSHER - SBS

Sábado - 05 de Abril ás 21:00 horas | Entrada: R$5,00

Local: Cartola's Snooker bar (Bar do Bruno)
Av. Dom Pedro II, Centro - São Bento do Sul/SC
(Próximo à UNIMED)
Informações: 047 9909-4247

domingo, 29 de março de 2009

Nova fonte de informações

O Portal Revoluta é a nova fonte de informações sobre punk-hardcore. Clique aqui e conheça o portal que tem entrevistas com bandas, resenhas, colunas e notícias.

sábado, 28 de março de 2009

Um conto hardcoreano jacú : A ressurreição

O ano de 1999 marcou a vida de diferentes pessoas. O nascimento, a morte ou a ressurreição. O clímax foi à ressurreição de Simone, que estava completamente alcoolizada e resolve abordar o punk caretão Jean.



Simone: Jean, preciso muito falar com você.



Jean estava irritado com abordagem, o cheiro de bebida e resolveu tirar o fone de ouvido do seu walke man que rolava um Vegan Reich. E disse: Sim, fale.



Simone: É que..... Pausa para um arroto sabor Vinho Campo Largo.



Jean fez de conta que era um assunto novo, como se não soubesse que a bêbada ramonica estava caidinha por ele.



Simone: Eu gosto de você. Falou sem pensar, já que o vinho dominava seus impulsos e o jovem casal que observava metia uma pressão.



Jean, sem pensar duas vezes, soltou o oferecimento: Quer uma bolacha vegan ?



Simone caiu às lágrimas e teve sua ressurreição.



Em 2009 faz dez anos sem uma gota de vinho campo largo e qualquer outra bebida alcoólica.



postagem por Flavio Solomon.

Nas melhores casas do ramo ?

Guidable, o documentário sobre a história do Ratos de Porão, estará nas melhores casas do ramo?

Por enquanto, clique aqui e aproveite.

Um novo selo

Cut-Throat Records é o nome do selo responsável pela edição brasileira de cd´s fundamentais na discografia do punk e crust, como SKIT SYSTEM e DISRUPT,. Ainda que de quebra lança bandas como Agathocles e Sub Cut.


O mês de março de 2009 marcou o lançamento do cd “Prey to the world” dos suecos da Wolfbrigade. Para saber como comprar clique aqui.

quinta-feira, 26 de março de 2009

Pansy Division e seus lançamentos.

O Aristides, colaborador da versão de papel do Mau Humor Zine, mandou a seguinte dica: A banda Pansy Division, pop punk formado por gays e pautando essa temática, acaba de lançar um DVD, um cd e um ep em parceria do Jello Biafra.Tudo via Alternative Tentacles, tem algumas moedas para comprar ?


Assista a banda tocando "Dick of Death".


Escute Pansy Division clicando aqui.

Turnê na espera.

A banda Ordinaria Hit (SP) está programando uma turnê por três países da América Latina, Argentina, Uruguai e Chile, isso para o mês de Julho. Caso tenha contatos por esses países envie para os caras, quem sabe seja útil.


Clique aqui e baixe dois ep e aqui para escutar outras canções livres, furiosas e dominada pelo faça você mesmo.

domingo, 22 de março de 2009

Entrevista com Lé Dégoût

Cada um encontra uma maneira de superar o tédio.A seguir uma entrevista com Gustavo (ex- Morrison Hotel) que apresenta o Lé Dégoût, seu projeto solitário para superação do tal tédio.








1– O que você deseja dizer com Le Dégoût ?


R: Le Dégoût significa "O Desgosto". Esse projeto tenta passar pela música, o desgosto que é viver aqui em Brusque. É realmente tedioso. Não há o que fazer.

2 – a sua música tem alguma relação com o punk-hardcore ou devo terminar a entrevista por aqui ?


R: Eu já toquei em bandas punk-hardcore (Solution? - têm dois vídeos no youtube), e ainda escuto bandas punk-hardcore. O Le Dégoût, musicalmente falando, não tem nada de punk-hardcore, mas a maneira que eu e a galera envolvida com música aqui fazemos as coisas, é da maneira faça-você-mesmo, como o punk-hardcore faz, acredito eu. Tocar um hardcore inovador é um tanto difícil, nós estamos com uma nova banda aqui, em breve escutarás.

3– o que levou fazer a fazer as músicas no projeto solitário, seria ausências de músicos competentes ou os punks daí são demasiadamente punks ?


R: Na verdade, o le dégoût é um projeto sem compromisso. Só eu participo porque são músicas que faço nas horas vagas (que são muitas), em casa. É possível que nas próximas músicas exista a participação de algum amigo músico.

4 – você não é muito novo para se encher de ousadia e gravar suas próprias músicas ?


R: Acho que não tem idade pra se começar a gravar suas próprias músicas. Aqui em Brusque tem muitas bandas "covers", o que é triste, agente (nosso grupo de amigos), faz música própria, pois achamos muito mais interessantes. Expressar-se através da arte é um alívio.

5– eu posso tá errado, mas a banda Cólera tocou por aí no ano de 1984. O que tem em Brusque para existir um cenário criativo e vivo desde lá ?


R: Na real, nem sei. Eu nem era nascido. hahahaha. Mas as bandas de música própria daqui que tiveram ligação com o punk, começaram a existir em 2000. As que tinham nos anos 80, eu nem ouvi falar. Mas é fraco aqui, são poucas as bandas, e as pessoas envolvidas.

6– Existem conexões históricas daquela cena oitentista com a de hoje ?
R: Definitivamente não. O que é uma pena, ou não.

7- Uma apresentação ao vivo é possível ou completamente fora de cogitação ?


R: Não seria possível, a intenção com o le dégoût é só circular músicas pela internet, e em breve gravar um cd ep, com produção caseira. Coisa tosca.

8- Volta e meio fico sabendo de bandas, shows e gravadoras independentes. Não existem zines aí ?


R: Na verdade o Alexandre (FuckitAll) já publicou um zine chamado "A vida é uma farsa a ser levada por todos", mas foram só 3 edições. Posso tentar conseguir um cópia pra você.

9- Cara, eu tava dormindo e fui acordado com um maldito barulho de furadeira, to bem irritado, não quero continuar perguntando. O que mais você tem para dizer ?


R: Que sua irritação é perceptível e que o MauHumor é um nome muito bom vindo de você. hehehehe. Agradecer por publicar aí algo sobre o le dégoût e que em breve espero tocar aí em Joinville. Com minha banda, claro. Valeu, abraço. ESCUTEM Le Dégoût!! haha

sábado, 21 de março de 2009

Vários países, um underground

Você é um punk e acompanhado de outros punks começa a tocar e fazer apresentações ao vivo por diversos cantos da

cidade, mesmo com a nossa realidade econômica inviabilizando ou criando grandes dificuldades, ainda é possível, já que o punk-hardcore insisti existir como uma rede internacional de resistência.


Um exemplo são os três caras da banda Conquest For Death (EUA), já tocarão juntos outras bandas como All You Can Eat, WHN? , agora estão com mais três punks fazendo um hardcore rápido e com pitadas de thrash, quem sabe pode lembrar o WHN ? . A banda leva ao máximo o punk-hardcore como um rede internacional do faça você mesmo, já que nos últimos anos tocaram em países da Oceania, África, Ásia e Europa. Assim, fazendo valer à máxima “Vários países, um underground”.


O Aristides, colaborador do Mau Humor Zine versão de papel, assistiu o All You Can Eat na passagem deles por Curitiba, na metade da década de 1990 e garantiu que a banda é poderosa. Eu assisti, em 2002, apresentação do WHN? em Joinville e posso dizer que é energética. Agora, esperamos o Conquest For Death por aqui. Afinal, vários países, um underground também inclui o Brasil.


Nesse meio tempo você pode começar a fazer contato e contribuir com a rede internacional que é o punk-hardcore, aí quem sabe acontece sua turnê por algum canto do mundo.


postado por Maikon K

sexta-feira, 20 de março de 2009

Documentar é preciso.

A noite de ontem entrei rapidamente na internet e a minha amiga Aneleh enviou o endereço do Blog Hardcore 90: uma história oral, projeto realizado pelo Marcelo Fonseca O primeiro momento foi de encanto com a proposta de documentar e problematizar o punk-hardcore, o faça você mesmo e o surgimento de determinados aspectos comunitários no Estado de São Paulo e outras locais, entre os anos de 1989 a 2000, ainda mais sendo de alguém que fez parte de tudo e buscará desenvolver por meio de um mestrado na área da História.


Outro elemento do entusiasmo com o Hardcore 90: uma história oral é porque nos últimos tempos tenho pensando na realização de um projeto semelhante. A idéia é aproveitar os conhecimentos construídos na minha formação em história e a experiência com o punk-hardcore local e fazer um zine ou quem sabe um e-zine onde seja documentado o que levou jovens de diferentes classes sociais – entre os anos de 1990 a 2000 - organizarem shows, bandas, zines e até mesmo protestos. Sendo o cenário uma cidade como Joinville, onde o discurso oficial éda “ordem”, do “trabalho” e da “paz social”, sendo que arte e cultura somente são consideradas as promovidas pela Fundação Cultural de Joinville ou por grupos mais ou menos institucionalizados. Aí o surgimento das propostas a margem do contexto oficial cidade é um tanto que inquietante e inspirador em tempos da ousadia estando no campo da letargia.


Visitando o blog do projeto fico buscando na minha memória as cartas trocadas com algumas pessoas entrevistas, como era a recepção de determinadas bandas citadas, como era importante ler o zine Punto de Vista Positivo, sejam os textos, as entrevistas que eram além das perguntas obvias, passando pelas dezenas de resenhas de discos e zines. Lembro de como as cartas do Marcos Liberation eram documentos de uma relação comercial, onde hoje podemos perceber que desde daqueles anos o traço comercial tornaria a prática recorrente na Liberation.



Sabe, aqui em Joinville, longe oito horas de ônibus de São Paulo, mas extremamente conectado com tudo, onde se encontrava com os amigos e conversávamos horas e mais horas sobre a entrevista com o MDC ou as músicas do No Violence ou o sete polegadas do Abuso Sonoro ou de como as músicas da banda ROT eram destruidoras.


Bem, é uma idéia para um zine, não um mestrado, já que não estou com cabeça para isso no presente momento. Por encanto aproveito o Blog Hardcore 90: uma história oral.


postado por Maikon K

quarta-feira, 18 de março de 2009

TV Mau Humor #04

Especial bandas fodas tocando músicas de outras bandas fodas.


O fodido encontro do João Gordo com os caras do Sepultura, em Belo Horizonte, no ano de 1989. Aí, de quebra rola um Holiday in camboja do Dead Kennedys.


Mano Negra toca I fought the law, acompanhado do Jello Biafra, tendo como cenário os Arcos da Lapa, Rio de Janeiro, no ano de 1992. Sem contar o protesto do Jello contra o Bush Pai.


velocidade é com o trio Discarga, ainda mais tocando um clássico do Motorhead.


Mais uma vez os caras do Vitamin X - da Holanda -tendo como baterista o Boka do Ratos, sendo feito som do Black Flag. Já estava deixando de lado, o Gordo mais uma vez pinta aqui.


O Inimigo toca Cólera. Coisa linda.



terça-feira, 17 de março de 2009

Pedir desculpas já!!!!!!!!!!!!!!!!!


não sou de Joinville, mas os punks que organizaram ou foram do show da banda acima devem pedir perdão para todos.


postagem por Flavio Solomon

sexta-feira, 13 de março de 2009

cineminha na faixa

Os punks brasileiros são especialistas em chegarem à porta dos shows e ficarem com uma história triste de que não estão com grana ou de que pagar para uma “gig” é uma prática capitalista. Ok, equipamentos, gasolina para o transporte das bandas, cartazes e tudo mais vem direto da fonte, com certeza autogerida pelo Crass ?

Aos punks sem moedas: ENTRADA FRANCA.

O ciclo de cinemas – organizado pela Fundação Cultural de Joinville – estará exibindo dois filmes, um na sexta-feira e outro no sábado. O tema do corrente mês é “EXCLUÍDOS - vidas à margem”, aí reproduzo a nota do Ciclo de cinemas: “Nem sempre a marginalidade é involuntária ou indesejada. Há, sim, a exclusão. Mas há, também, a ruptura com as estruturas do social por razões pessoais, políticas ou filosóficas – os comportamentos e culturas marginais.

Em muitos casos, não se pode distinguir com precisão o limite entre o que é desejo e o que é condição imposta pelo modelo econômico e social que configura a cidadania. Neste limiar pouco preciso é que se desenham os temas de algumas das grandes obras do cinema que tratam da exclusão econômica, política ou social.

Após assistir aos filmes, quem sabe seja possível os punks locais elaborarem algumas reflexões sobre suas posturas nos eventos ligados ao punk-hardcore e a prática do faça você mesmo.

Informações dos filmes:

Sexta-feira: Ladrões de Bicicleta (1948) (Ladri di biciclette) - Drama / Itália (93 minutos) - Dirigido por: Vittorio De Sica



Sábado: Os esquecidos (1950) (Olvidados, Los) - Crime / México (Duração:85 min)- Dirigido por:Luis Buñuel








Onde: Sala de cinema da Cidadela Cultural, à rua 15 de Novembro, 1383, Joinville. Quando: sextas e sábados às 19h. Quanto: Gratuito.


postagem por Maikon K

quinta-feira, 12 de março de 2009

Anti-resenha do show do Circle Jerks

O maldito desemprego tá aí. No meu caso não tem como culpar a crise do capitalismo mundial, somente posso culpar o Governo do Estado de Santa Catarina e sua Secretária de Educação que não é organizada e completamente viciada no processo de contratação. Resumo: estou desempregado e sem grana para shows em lugares distantes.


Então, não fui a nenhuma apresentação do Circle Jerks.


Agora, os caras do Circle Jerks já estão velhos, o vocalista continua com seu senso de humor mais para o mau do que bom humor. Sem contar que é remota a minha possibilidade de ir para os E.U.A e qualquer outro país que tenha uma apresentação deles.



O que resta é assistir vídeos na porra do you tube e...


...ficar de boca aberta com as fotos.



mais foto aqui.

quarta-feira, 11 de março de 2009

Diga oi para os bastardos.


O punk-hardcore é global, não tem como fugir, em cada cidadezinha do mundo terá um cara vestindo uma camiseta punk ou ainda um pessoal tocando uma música acelerada e falando sobre os mais variados problemas sociais.



A banda Hello Bastards não foge a regra, são membros de diferentes países, como Issrael, Brasil, Argentina, Polônia e Alemanha, que se uniram em solo londrino para tocar um furioso punk-hardcore com elementos do thrash, abordando temas como o anarquismo, os direitos dos animais e a ética do faça você mesmo.



Clique aqui e escute algumas músicas do primeiro sete polegadas que a banda lançou, via Never Healed Records.



postagem por Maikon K

Representantes da Babitonga Bay Area.

Acontecerá aNight of The Living Thrashers II, em São Paulo, e os caras da banda Praga serão os representantes da Babitonga Bay Area.

Mais informações:


LOCAL: INFERNO CLUB - Rua Augusta, 501 Consolação.+ Os primeiros 50 compradores ganham 1 CD lançado pelo Cospe Fogo Gravações.+ Os primeiros 100 que entrarem na casa ganham a promo "1st Thrash" do PRAGA.+ No dia Camisetas do NOTLT. Apenas por R$ 12,00. Quantidade limitada.
Artwork by Túlio (DFC).+ Discotecagem durante todo evento com o melhor do NWOBHM!Ingressos:R$12,00(antecipado)R$ 18,00 (na porta)

Locais de venda:São Paulo - Galeria do rockMutilation: Segundo AndarLoja 255: Primeiro AndarSão Paulo - Galeria Nova BarãoExtreme Noise Discos: Rua AltaABCMetal CDsRua Elisa Flaquer, 184 - Centro - Santo André / SP

Realização: Cospe Fogo Gravações. Apoios: Extreme Noise Discos, Mutilation e Loja 255.
*IMPORTANTE: NÃO SERÁ PERMITIDO A MONTAGEM DE BANQUINHAS POIS O INFERNO CLUB TEM RESTRIÇÃO DE ESPAÇO. SOMENTE AS BANDAS PODERÃO MONTAR BANQUINHAS E VENDER MATERIAIS.www.cospefogo.comcospefogohc@uol.com.br

terça-feira, 10 de março de 2009

Hardcore em Jaraguá do Sul.

Eu acabei de saber, via "Orelhada", que a banda holandesa No Turning Back tocará em Jaraguá do Sul. A data fechada está para 27 de março, no Fort Beer. A sonoridade da banda não é a minha praia, mas segundo amigos, o show é bom. Será que alguém organizará um excursão saindo de Joinvas ?

Clique aqui e leia notícias da turnê.





postagem por Maikon K.

sábado, 7 de março de 2009

Novo do Propagandhi

A banda Propagandhi liberou seu novo disco chamado "Supporting Caste". Clique aqui e escute. Quem tiver condições de comprar, vale a pena. Já que a arte dos discos dos caras é bonita, especialmente dos últimos três lançamentos.

quinta-feira, 5 de março de 2009

TV Mau Humor #03

O dia 8 de março é lembrado como o dia internacional da mulher. Uma amiga perguntou oque ela teria de comemorar, continua sendo explorada no mundo do trabalho e sem contar quantas e quantas mulheres estão sofrendo com a violência.

Por conta disso, resolvi fazer uma seleção de bandas com mulheres. O punk-hardcore deveria cada vez mais ser um espaço aberto para as mulheres e todas e todos.



Eu Matei Pedro é uma banda de Curitiba, assisti apresentação em Joinvas, vale a pena conferir.


Mais uma vez as garotas do Eu Matei Pedro.


A música "Grande mentira" da banda Abuso Sonoro, o vocal feminino é destruidor. A melhor banda de "crust" do mundo!!!


Spitboy : Sem palavras.


Renegades of Punk - diretamente de Sergipe.

terça-feira, 3 de março de 2009

Joinska.

O ritmo jamaicano do ska entrou em Joinvas naquela febre da segunda metade da década de 1990, algumas bandas locais incorporaram elementos, porém geralmente trouxeram do tal skacore ou um ska com pegada mais agressiva. Nada de “2 Tone” e Jamaica da década de 60 e todas suas variações.

Ainda hoje nenhuma banda ou festa especifica a tal sonoridade acontece na cidade, somente a banda Cultura Monstro incorpora sonoridades, mesmo que ainda esteja voltado às variações porrada do ska da decada de 90 e com um leve toque “2 Tone”, faltando beber na fonte da velha Jamaica.

Um aspecto interessante é o surgimento, na cidade, de garotos e garotas amantes tanto da sonoridade “2 Tone” e o velho ska jamaicano. O que ainda está faltando é alguém puxar e organizar uma festa emaranhada na sonoridade da Ilha que apresentou muito mais do que Bob Marley.


Mais informações sobre a música jamaicana:



Invasão Jamaica na porra da MTV.

domingo, 1 de março de 2009

Pacotão da Laja.

A gravadora Laja Rex está fazendo um pacotão de barulho “du bom”. Você escolhe dez lançamentos de uma lista com vinte e dois cd`s, paga R$ 40,00 e mais R$ 15,00 das despesas postais. Vale a pena conferir, já que entre as bandas estão Hero Dishonest, Thee Butchers orchestra, Motosierra, Hellnation e outros petardos. Além de pegar boas bandas, ainda poderá contribuir para manter as gravadoras independentes.

Emeio para contato : lajarex@uol.com.br